Henrí Galvão

8 de outubro de 2018

É verdade que, hoje em dia, é cada vez maior o risco de se tornar um “escravo do relógio”.

Mas também não é menos verdade que, sem ele, nem sempre é fácil dar a devida importância ao tempo.

A não ser, é claro, pra quem já está além dessas formalidades.

Mas ainda estou pra encontrar esse alguém.

Letra:

Não sou mais que ninguém
Disso eu sei muito bem
Aqui no meu ashram
É sempre de noite
E é sempre de manhã
Não canso de abusar
Do meu direito de nunca chegar
A qualquer conclusão
Não digo nunca, jamais