O porquê da gratidão

O poder da gratidão é algo que vem sendo estudado de forma cada vez mais sistemática por cientistas e pesquisadores em geral, ainda mais com o crescimento da chamada psicologia positiva. Sinceramente, não sou nem de longe um expert nisso, mas justamente porque ainda assim venho experimentando na prática os seus benefícios, gostaria de falar um pouco das suas implicações.

Entrando brevemente nas questões centrais de como, a quem ou pelo que agradecer: a forma mais comum e rápida é a de se sentir grato interna e silenciosamente (embora demonstrar a gratidão de forma verbal diretamente para alguém tenda a ser ainda mais poderoso). Você pode agradecer a tudo e a todos, desde pessoas, objetos, até a sua atual condição de vida (mesmo que, de primeira, ela não te pareça assim tão vantajosa). Em último caso, é possível sentir gratidão pela época em que vivemos e por todos os avanços feitos em diversas áreas do conhecimento humano.

Primeiramente, no entanto, é importante ter uma razão para ao menos se considerar explorar melhor essa prática. Até certo ponto, a justificativa é razoavelmente simples: partindo do pressuposto básico de que qualquer visão sobre algo será sempre limitada – já que não se sabe de nenhum ser humano que tenha atingido um estado de completo entendimento da realidade – torna-se de fundamental importância ter um foco direcionado naquilo que, baseado nos seus objetivos, vai te trazer resultados mais benéficos em longo prazo.

Analisando melhor possíveis resistências para essa mudança de perspectiva, vale notar que isso não vai te fazer ver o mundo com lentes cor de rosa. Ao contrário: quanto menos se vê o mundo dessa forma, mais eficiente é essa prática. Não vou tentar te convencer por que isso funciona (até porque eu mesmo não sei ao certo), mas se tem uma coisa que aprendi por experiência própria é que ser “realista” nem sempre é o que se pensa. Frequentemente, o que chamamos de realismo ou ceticismo nada mais é do que uma desculpa pro cinismo. Não acreditar em qualquer coisa simplesmente porque alguém disse é bastante saudável, mas desmerecer por completo algo sem ter uma experiência direta não é uma atitude das mais inteligentes.

Pra além disso, a gratidão não te deixa mais acomodado. Pelo contrário: quanto mais grandiosos forem os seus objetivos, mais se faz necessário desenvolver a habilidade de focar no momento presente. Isso te permite ter a paz de espírito para trabalhar de forma deliberada em direção à sua visão sem ser tão afetado pela ansiedade, carência e apego em relação a uma determinada condição futura. Até porque, no fim das contas, querendo ou não é isso que fazemos o tempo todo: ressignificamos eventos para criar um sentido pro que ocorre ou deixa de ocorrer à nossa volta.

Anúncios